Quais processos da indústria alimentícia liberam mais odores desagradáveis?


Odores desagradáveis relacionados à produção de alimentos geram problemas aos gestores, à indústria e a quem mora nos seus arredores — além de afetarem a motivação dos funcionários por conta do desconforto causado.

A concentração mínima perceptível de um cheiro pelo olfato é denominada percepção odorífera, e, no caso da indústria alimentícia, se dá em diversas circunstâncias. Trouxemos, neste post, alguns dos alimentos que, quando processados nas indústrias alimentícias, precisam de um severo controle de odor. Acompanhe!


Laranja


Ao separar a massa da laranja (seu “bagaço” e os óleos) do suco da fruta, além de obter os produtos para comercialização, que são o néctar e os óleos usados como aromatizantes e na indústria cosmética, é produzido ainda o indesejado d-limoneno.


Essa substância, durante a secagem, libera no ar compostos orgânicos voláteis e substâncias odoríferas. Ou seja, resulta em poluição olfativa.

Subproduto da laranja, o d-limoneno possui capacidade de atuar como precursor na formação de outra substância: o Ozônio Troposférico. Poluente, ele pode provocar danos à saúde e afetar o sistema respiratório, além dos olhos – que ficam irritados.


Processamento da carne


As indústrias que trabalham com o processamento da carne têm sérias dificuldades quanto ao controle de odor. Isso, porque, ao decomporem-se, os materiais orgânicos liberam odores muito desagradáveis devido às suas gorduras e graxa.


Nesses casos, as próprias estações de tratamento de efluentes acabam apresentando fortes odores, já que recebem elevadas cargas orgânicas.


Batatas Pré-Fritas

O mau cheiro das indústrias que beneficiam batatas e as transformam em batatas pré-fritas incomodam – e muito – quem mora em volta dessas fábricas.


O problema exige a implementação de técnicas avançadas de controle de odor, e o investimento necessário para implementar a neutralização desse cheiro é relativamente baixo, tendo em vista o excelente resultado que produz.


Já existem no mercado soluções para neutralizar esse odor: são os eliminadores de odor, que ao invés de mascarar o mau cheiro, o eliminam por completo.



Brócolis, repolho e mostarda

Os compostos sulfurosos presentes nos brócolis, repolhos e na mostarda, durante o cozimento feito nas indústrias alimentícias que os preparam e entregam ao mercado já prontos para o consumo, geram muitos odores desagradáveis.


O cheiro forte e ruim surge quando o calor rompe as paredes das células desses legumes e libera sulfeto de hidrogênio, mercaptana e sulfato de metila. Todos compostos altamente odoríferos e mal cheirosos.

Durante o processamento dos diferentes alimentos, a indústria alimentícia está sujeita aos mais variados odores. Alguns até mesmo agradáveis, mas que, ao longo do tempo, acabam por incomodar e prejudicar a saúde das pessoas que a eles estão expostas.


Tratar corretamente esse problema exige a adoção de soluções específicas para controle de odor. O mercado disponibiliza, atualmente, excelentes respostas a esse antigo problema, que já parecia até mesmo crônico.


Entre as soluções feitas para neutralizar o odor através de processos químicos, estão as ambientalmente corretas ideais para a saúde das pessoas envolvidas nos processos e todo o planeta. Ficou interessado no assunto?

Então aproveite para ler também o nosso post com dicas de tratamento do mau cheiro em processamento de alimentos!

Dúvidas? Entre em contato com a DUX.

© 2020 DUX CONTROLE DE ODORES | INDÚSTRIA QUÍMICA | Todos os direitos reservados.

CNPJ 13.771.610.0001-30 | ANVISA 3.07.044-2 | TEL: +55 (11) 4447-7190